ESPÉCIES FLORESTAIS - Sinop Energia promove Capacitação para alunos do EJA

A capacitação visa incentivar a propagação das espécies nativas, em especial as arbóreas, indispensáveis para a manutenção e conservação das áreas de florestas nativas

Alunos aprenderam o processo de enxertia, que consiste em uma técnica de melhoramento genético das plantas

Alunos aprenderam o processo de enxertia, que consiste em uma técnica de melhoramento genético das plantas

Mudas de plantas de diversas espécies foram apresentadas no mês de maio aos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), da escola Florestam Fernandes no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) 12 de Outubro, município de Cláudia, durante a Capacitação de Espécies Florestais em Viveiros ofertada pela Sinop Energia, que contou com a parceria da Prefeitura local.

Por meio do Programa de Educação Ambiental (PEA), a atividade aconteceu em dois momentos, aula expositiva e prática, onde foram abordados os tipos de viveiros, instalações e implantações, equipamentos, materiais e técnicas de produção. A capacitação visa incentivar a propagação das espécies nativas, em especial as arbóreas, indispensáveis para a manutenção e conservação das áreas de florestas nativas, garantindo a variabilidade genética e perpetuação das populações florestais.

Segundo a analista Socioambiental da Usina, Jaqueline Pysklevitz, outro ponto alto abordado pela bióloga Adriana Mohr, executora do Programa pela MM Social, foi a produção de mudas geneticamente melhoradas por meio da enxertia (técnica de melhoramento genético que consiste em implantar parte do tecido de uma planta viva em outra planta de igual ou diferente espécie). A técnica consiste em utilizar a muda (que contenha material genético de uma planta que se queira multiplicar) e realizar o enxerto no caule de uma outra planta. “Podemos, desta forma, encurtar o tempo de desenvolvimento de uma planta com qualidade bem superior”, repassou.

Ainda segundo Pysklevitz, todo esse processo onera o preço das plantas e, por isso, a população quase não consegue ter acesso às mudas melhoradas geneticamente. “Mas, com o aprendizado do curso, agora esse conhecimento pode ser aplicado mais facilmente, especialmente na fruticultura”, salientou.

Para Adilson Jesus Santos, professor da escola Florestam Fernandes, a participação dos alunos do EJA na capacitação oferecida pelo Empreendimento foi muito importante e produtiva, se tratando de uma atividade extracurricular. “Normalmente esses alunos, por serem todos adultos, acabam não participando das atividades realizadas ao longo do ano letivo e essa foi desenvolvida justamente para eles. Gostei do curso, achei interessante a escolha do tema e do público alvo”, declarou.

Ao final da capacitação, a Prefeitura realizou doação de 120 mudas para os participantes. Os encontros terão continuidade por meio do Projeto Sub-bosque que a escola pretende implantar. Com a iniciativa, pretendem obter um espaço que será utilizado pelos alunos como uma área de convivência. O projeto já está em andamento e conta com a colaboração da equipe do PEA, com a implementação de novas mudas e a revitalização da horta no local.

Olá Eu sou a joana!

Tem alguma dúvida? Clique aqui!

joana maior