NOVA MORADIA - Famílias demarcam lotes no Reassentamento Rural Coletivo da Sinop Energia

Área adquirida pela Companhia Energética Sinop será destinada ao remanejamento de 28 famílias assentadas no PDS 12 de Outubro, em Cláudia, conforme Plano de Desenvolvimento do Assentamento (PDA)

Localizada a margem direita do rio Teles Pires, a área adquirida pela Concessionária da Usina para a implantação do RRC fica a cerca de 20 km de Sinop

Localizada a margem direita do rio Teles Pires, a área adquirida pela Concessionária da Usina para a implantação do RRC fica a cerca de 20 km de Sinop

Moradora há mais de 14 anos no Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) 12 de Outubro, município de Cláudia, Josefa Leandro Justino, 54, sempre quis mudar de vida. Produtora rural, artesã, casada e mãe de um filho, finalmente vai concretizar seus planos por meio da implantação do Reassentamento Rural Coletivo (RRC) da Sinop Energia, usina hidrelétrica que está sendo construída pela Companhia Energética Sinop. Inserida entre as 28 famílias integrantes da Associação São Judas Tadeu, foi uma das primeiras a demarcar o local e a disposição de sua nova moradia na fazenda adquirida pela Concessionária da Usina, para remanejamento das famílias envolvidas diretamente com o Empreendimento.

Localizada a margem direita do rio Teles Pires, a área adquirida fica a cerca de 20 km de Sinop. As famílias receberão lotes com aproximadamente 20 hectares de área de cultivo e 20 hectares de área de reserva legal, em condomínio. No local está prevista ainda a construção de 28 casas de 63 m3 cada, sendo dois modelos diferentes. Um com dois quartos, sala, cozinha, banheiro social, lavanderia e varanda e outro com três quartos, sendo uma suíte, sala, cozinha, banheiro social adaptado para portadores de necessidades especiais, lavanderia e varanda, conforme a escolha das famílias. Todos os lotes terão água, energia elétrica, acesso cascalhado e cercamento perimetral. Além da nova moradia, cada família terá direito a elaboração e implantação de um projeto de geração de renda no valor de R$ 15 mil e assistência técnica pelo período de um ano, podendo ser prorrogável por mais dois anos, conforme a necessidade.

“Estamos muito animados com a mudança. As terras no reassentamento são melhores que na minha antiga propriedade, estamos próximos de Sinop, do rio e, o melhor, aqui temos sinal de celular e internet. Teremos tudo isso somado às benfeitorias oferecidas pela Usina. Não vejo a hora de criar meu gado e desenvolver uma técnica de plantio de cacau que aprendi. Futuramente quero fechar toda a área do meu lote com cacau”, repassou o pequeno produtor rural Antônio de Alencar, morador do PDS há mais de 11 anos. Sua vizinha, Carmem Beatriz, também quer começar a plantar o quanto antes. “A Usina veio para melhorar nossas vidas. Quero irrigar uma parte do meu lote para plantar e ter hortaliças o ano todo. Na antiga moradia não conseguia fazer isso”, completa.

De acordo com o coordenador de Remanejamento da Sinop Energia, Anderson Imolesi, ainda este mês, as obras de construção das casas no RRC serão iniciadas. “Estamos finalizando o processo de contratação das empresas responsáveis pela construção das casas e toda a infraestrutura do RRC. Em dezembro de 2016 realizamos reunião com as famílias onde escolheram os modelos das casas e os lotes. Trouxemos as famílias para a área de implantação do RRC, para indicarem o local e a disposição da construção de suas futuras moradias no novo lote. A mudança das famílias para a nova propriedade iniciará no segundo semestre deste ano”, repassou Anderson. Informou ainda que as famílias terão acompanhamento de uma equipe interdisciplinar com assistente social, engenheiro agrônomo e técnico agropecuário para auxiliar na implantação do Projeto Individual de Produção Agrícola nos novos lotes, com ajuda financeira inicial do Empreendimento e o estudo para a implantação de um projeto de renda coletiva.

O PROGRAMA

O Programa de Remanejamento da População da Sinop Energia tem como objetivo principal oferecer aos proprietários de terras interferidas pelo Empreendimento o acesso a áreas que permitam condições de vida iguais ou melhores às verificadas antes de iniciar as obras. Fazem parte das atividades desenvolvidas neste Programa visitas sociais à população envolvida, visando orientação, apoio e encaminhamento, em caso de vulnerabilidade social, e o monitoramento socioeconômico, da qualidade de vida e situação econômica deste público. Em parceria com o Sebrae, vem sendo oferecida assessoria técnica para as famílias assentadas do Incra, visando à geração de renda no campo, no âmbito dos Programas de Fortalecimento da Pecuária Leiteira e Produção de Hortifrúti.

Olá Eu sou a joana!

Tem alguma dúvida? Clique aqui!

joana maior